HISTÓRICO

 

O Laboratório de Processamento de Sinais e Imagens foi criado em 1991, a partir da iniciativa dos professores Altamiro Amadeu Susin, Alceu Heinke Frigeri e Thomas Weihmann. O grupo desenvolveu uma linha de pesquisa voltada para o processamento digital de sinais, visto a carência do assunto em nossa Universidade. A placa de DSP baseada no processador TMS320C25, adquirida pelos professores, fomentou os trabalhos de pesquisas, que deram corpo e destaque ao, até então, novo Laboratório do Departamento de Engenharia Elétrica.
Os resultados obtidos através dos projetos abriram caminho para o aumento da equipe de pesquisa. O Laboratório logo estimulou o desenvolvimento de dissertações de Mestrado, colaborando em diversos projetos do Programa de Pós-Graduação em Instrumentação Eletro-Eletrônica (IEE), nas áreas de instrumentação digital, aquisição e processamento de dados e desenvolvimento de software de DSP. Projetos e trabalhos de Mestrado na área de processamento de imagens também foram e continuam sendo fomentados pelo LaPSI. Em 1992, Thomas Weihmann deu início às dissertações, com
Processamento Digital de Sinais Aplicado à Transmissão de Voz, e em 1998 tivemos a primeira tese de Doutorado, Análise e Processamento de Sinais da Voz Disfônica através da Transformada Wavelet Discreta, defendida por Adalberto Schuck Júnior.
Quase nove anos passavam-se e os bolsistas e pesquisadores do LaPSI utilizavam um espaço que começava a tornar-se pequeno para a grandiosidade dos projetos. Foi então que no segundo semestre de 1999 o Laboratório mudou-se para um setor com pelo menos o dobro do espaço, possibilitando alternativas para um maior crescimento.
O LaPSI chega na porta do novo milênio com a certeza que vem desenvolvendo, junto à comunidade acadêmica e científica, o melhor para a sofisticação do conhecimento.